Juros e Selic: O que são e como funcionam?

É normal ouvirmos falar sobre juros ao pegar um empréstimo ou realizar algum tipo de investimento, porém, você saberia explicar o que são juros? Taxas de juros? E a taxa básica de juros? São muitos nomes e parece difícil de entender, mas nós iremos facilitar. Podemos definir juros como um valor que é adicionado em cima de um montante de dinheiro sobre determinado período. No bom português, seria o quanto custa o dinheiro durante algum tempo, com suas taxas sendo expressas em forma percentual e em algum período, como ano ou mês. Vamos pensar em um exemplo para facilitar: imagine que você tem R$ 10,00 e um amigo pede um empréstimo desse valor por um mês, você concorda em emprestar, desde que seu amigo devolva R$ 20,00 após um mês. O que aconteceu aqui? Simples, vocês negociaram um empréstimo com uma taxa de juros. O seu amigo teve de pagar R$ 10,00 a mais por usar um dinheiro que não era dele, esse valor foram os juros do empréstimo, já a taxa de juros utilizada foi de 100% ao mês. Dessa forma, já é fácil observar porque esse conceito é tão valioso para o mundo das finanças: os juros determinam o quanto alguém terá de pagar ou mesmo o quanto irá receber por alguma negociação. Existem diversos tipos de juros, é tanto que merece até um post separado. Nesse texto vamos falar de um em especial, que consegue influenciar em toda economia de um país, estou falando da taxa básica de juros. A taxa básica de juros no Brasil é a taxa Selic. Essa taxa é fundamental para nossa economia e consegue influenciar as taxas que as instituições financeiras cobram de empréstimos e quanto os investidores ganham em aplicações financeiras. Sua função é, basicamente, determinar o volume de dinheiro em circulação. Quando está em patamares mais altos, é mais caro pegar empréstimos e financiamentos, assim desestimulando o consumo, já o efeito contrário acontece quando a Selic está baixa. Quem decide essa taxa é o Copom (Comitê de Política Monetária), um grupo formado por diretores do Banco Central e seu presidente. Esse órgão se reúne a cada 45 dias para decidir qual será a taxa Selic meta, suas reuniões duram cerca de 2 dias e lá discutem os rumos e perspectivas da economia. Você talvez esteja se perguntando sobre a origem do nome. Por que Selic? Simples, é uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Esse sistema é controlado pelo Banco Central e é responsável por registrar as transações envolvendo os títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional. Iremos falar mais desses títulos futuramente, por agora, você só precisa saber que o governo não consegue se sustentar apenas com o dinheiro de impostos, é necessário criar títulos de dívida para que investidores emprestem dinheiro ao governo, que promete pagar esse empréstimo futuramente com juros. Por ser emitido pelo governo, é, normalmente, o produto de investimento mais seguro do país, o que o torna ideal para ser utilizado como garantia em negociações. Comumente, os bancos utilizam esses títulos como garantia ao fazer empréstimos com os outros bancos. A taxa média diária dessas negociações é chamada de Selic Over. Por meio da taxa Selic, o banco central consegue incentivar ou esfriar o consumo. Pense só: Digamos que você tenha um negócio de vender picolés na praia por meio de um carrinho, com a chegada do verão, você está pensando em expandir o negócio, é hora de comprar dois novos carrinhos e contratar um funcionário para cada. Mas você não tem dinheiro para fazer isso agora, é necessário pegar um empréstimo junto ao banco para expandir sua empresa. Qual a melhor época para fazer esse empréstimo? Quando os juros estão baixos ou quando estão altos? Obviamente a primeira opção. Esse é o papel da taxa Selic; controlar o crédito e os incentivos para produção e consumo de uma economia. Leonardo Xavier, professor de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, explica que ainda existe uma relação entre a taxa de juros e o câmbio. “A taxa Selic, ainda, pode ajudar a acalmar tensões relativas ao fluxo de capitais do exterior. Por exemplo, é comum os agentes do mercado financeiro fazerem operações em dólar, inclusive, poupando em dólares. Mas, essa decisão é tomada levando em conta, entre alguns fatores, a taxa Selic. Dito de outra forma, Selic alta pode reduzir pressões sobre o dólar”, comenta o professor. Entendemos que uma Selic baixa incentiva o consumo e os negócios, mas por que o Banco Central optaria por desaquecer a economia? Existem alguns motivos, com o principal sendo controlar a inflação.


Quando a inflação sobe demasiadamente, os governos tendem a subir os juros, portanto, reduzindo o incentivo de consumo, deixando empréstimos mais caros e aumentando as remunerações por deixar dinheiro “parado” no banco. Após a inflação ser controlada e os preços ficarem estáveis, uma alternativa é voltar a reduzir os juros para acelerar a produção, criação de emprego e a economia no geral. Sendo assim, conseguimos compreender a ideia de juros, taxa de juros e taxa básica de juros. Todos esses conceitos são fundamentais em nossa vida e fazem parte de nosso cotidiano, mesmo que nem percebamos. Esse é mais um texto da série de posts sobre Educação Financeira em nosso blog, em breve teremos mais!!! Agradecemos ao professor Leonardo Xavier pela ajuda na produção e revisão do texto.

34 visualizações

Posts recentes

Ver tudo