Educação financeira e brasileiros: uma relação distante

O crescimento do número de brasileiros conectados na internet nos últimos anos vem gerando um efeito interessante: estamos cada vez mais conversando sobre dinheiro. Quem nunca assistiu um anúncio sobre investimentos enquanto aguardava um vídeo carregar? Ou tem mensagens sobre organização financeira na sua caixa de e-mails? Bom, esse surgimento de produtos e ofertas voltadas para educação financeira tem um motivo, o brasileiro historicamente enfrenta dificuldades em controlar suas finanças. Esse antigo problema pode gerar diversos efeitos negativos como aumento da desigualdade social, deterioração da saúde mental e redução da mobilidade social.

Alguns dados comprovam que a falta de educação financeira está presente na vida dos brasileiros. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) publicaram em 2020 um estudo sobre organização financeira que aponta indícios preocupantes, como o de que 48% dos brasileiros não fazem um controle do seu orçamento. Outras pesquisas mostram resultados que também chamam atenção: A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais) realiza anualmente sua pesquisa de “Raio X do Investidor Brasileiro”, que visa conhecer os hábitos de investimentos e poupança dos brasileiros, a pesquisa de2019 apontou que 62% dos brasileiros não conseguiram guardar algum dinheiro ao longo do ano. Essas pessoas enfrentaram a pandemia da Covid-19 sem nenhum tipo de reserva financeira, ou seja, uma situação já negativa ficou pior ainda, devido à essa dificuldade em separar uma quantia para eventos inesperados. A falta de conhecimento se alimenta de alguns hábitos do brasileiro. Apesar da recente mudança, falar de dinheiro continua sendo um tabu para algumas pessoas, um assunto extremamente delicado e associado a experiências negativas. A verdade é que não precisa ser assim.

Educação financeira não é um sinônimo para “fique rico investindo em tal coisa” ou “guarde todo seu dinheiro”. Não, mas é um processo que envolve o planejamento, cuidado e controle dos seus recursos disponíveis. Uma boa execução desse processo pode fazer sonhos virarem realidade, te torna mais independente e capaz de lidar com as surpresas da vida. Sim, às vezes não tem como separar uma quantia. Falta dinheiro. Falta tempo. Cada pessoa é diferente e o contexto precisa ser analisado, porém, todas são capazes de se planejar e refletir sobre sua situação atual.


Devemos pensar em educação financeira como uma ferramenta de precaução para um futuro imprevisível.

Um bom controle dos seus gastos e receitas dá transparência e clareza no momento de tomar uma decisão financeira importante. Faz com que desejos impulsivos e momentâneos percam espaço para objetivos de longo prazo, tornando possível elaborar suas finanças em um horizonte de tempo maior, ao invés de não ter nenhum planejamento e eventualmente acabar sofrendo com isso. Pensando nisso, nós da Equilíbrio Assessoria Econômica Solidária estamos desenvolvendo um serviço de Educação Financeira que tem como objetivo contribuir para a solução dessa necessidade dos brasileiros. Também iremos postar mais conteúdo aqui no blog nas próximas semanas. Em breve, mais novidades!

69 visualizações

Posts recentes

Ver tudo